Novembro Azul – Incentivo aos Cuidados da Saúde do Homem

Novembro Azul – Incentivo aos Cuidados da Saúde do Homem

Os homens precisam estar mais atentos ao cuidar da saúde. E o Dia dos Pais pode ser uma boa oportunidade para lembrar como alguns cuidados simples são fundamentais para manter a saúde em dia. Segundo um levantamento realizado pelo Centro de Referência em Saúde do Homem (CRSH), vinculado à Secretaria do Estado da Saúde de São Paulo, mais da metade dos pacientes do sexo masculino vão ao médico já com as doenças em estágio avançado, o que muitas vezes pode comprometer a cura. A falta de tempo, o preconceito e a sensação de que são imunes às doenças estão entre os principais motivos relatados pelos pacientes.

Outro levantamento, realizado pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), mostra que 56,5% dos homens têm mais sobrepeso do que as mulheres (49,1%). Além disso, eles fumam mais e também têm maior risco de enfartar antes dos 50 anos de idade porque possuem hábitos de vida menos saudáveis (veja o quadro ao lado).

A dra. Danielli Haddad Syllos Dezen, cardiologista e médica responsável pelo Centro de Acompanhamento da Saúde e Check-Up do Hospital Sírio-Libanês, recomenda que os homens adotem — o mais cedo possível — hábitos que podem reduzir a chance de ocorrência de doenças em cerca de 40% a 60%, como:

  • Observar a circunferência abdominal. Ela pode ser o primeiro sinal de que há algo errado com a saúde.
  • Reduzir o sal e a gordura da alimentação e consumir mais frutas e hortaliças.
  • Evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.
  • Não fumar.
  • Manter o peso sob controle.
  • Procurar ter uma noite de sono adequada (cerca de sete horas). Quem ronca e tem sonolência diurna deve procurar um especialista para descartar a apneia do sono.
  • Manter a carteira de vacinação em dia (confira quais vacinas são indicadas para sua faixa etária).

“É importante ter um médico de confiança para que, através do exame físico e do histórico familiar, ele possa personalizar o acompanhamento”, alerta a médica. Segundo ela, filhos e irmãos de pessoas que tiveram morte súbita ou infarto, acidente vascular cerebral precoce, câncer de próstata, de tireoide, de intestino, de estômago ou aneurisma de aorta são mais propensos a apresentarem tais alterações e se beneficiariam de um acompanhamento mais próximo.

Exames de controle

Além de adotar hábitos saudáveis e de fazer um acompanhamento da saúde com um médico de confiança, a especialista ressalta a importância da realização de exames regulares para a prevenção de uma série de doenças. A idade e a periodicidade com que esses exames devem ser feitos dependem do histórico do paciente.

  • Coleta de colesterol total e fracionado: em pacientes sem fatores de risco deve ser realizada no mínimo a partir dos 35 anos de idade. Caso o paciente tenha histórico de doenças cardiovasculares na família e pertença a grupos de risco (obeso, fumante, hipertenso), o exame deverá ser realizado a partir dos 20 anos de idade.
  • Glicemia de jejum e hemoglobina glicada: a glicemia mede o nível de glicose no sangue; já a hemoglobina glicada mede o nível de açúcar no sangue nos últimos três meses. Ambas são indicadas para rastreamento de diabetes. Os exames devem ser realizados no mínimo a partir dos 40 anos de idade e repetidos a cada cinco anos, caso não haja histórico de diabetes na família, obesidade ou hipertensão. Se o paciente pertencer aos grupos de risco, a coleta deve ser anual e de forma mais precoce, conforme determinação médica.
  • Medida da pressão arterial: a hipertensão, que atinge cerca de 30% da população, na maioria das vezes de forma silenciosa, é uma das principais causas de acidente vascular cerebral (AVC) e afastamento do trabalho antes dos 40 anos de idade. O exame deve ser realizado a partir dos 18 anos e repetido uma vez no mínimo a cada três ou cinco anos, caso o paciente não pertença aos grupos de risco.
  • Colonoscopia (câncer de intestino): deve ser realizada a partir dos 50 anos de idade. Caso não sejam apresentadas lesões, pode ser repetida a cada dez anos. No caso de histórico familiar da doença, o exame deve ser iniciado mais precocemente, de acordo com determinação médica.
  • Densitometria óssea: obrigatória para homens com mais de 70 anos de idade.
  • Tomografia de tórax com baixa dose de radiação (câncer de pulmão): o exame deve ser realizado em indivíduos com idade acima de 55 anos e com história de tabagismo equivalente a um maço de cigarro ao dia por 30 anos ou que tenham fumado a mesma quantidade de cigarros, mas que tenham parado há menos de 15 anos.
  • Tomografia das coronárias: avalia o chamado escore de cálcio, o nível de calcificação (obstrução) das artérias coronárias. É indicada para pacientes selecionados com risco moderado de desenvolver uma doença arterial coronariana, principalmente aqueles com mais de 55 anos de idade. Cabe ao médico decidir sobre a realização do exame em idade mais precoce.
  • Toque retal e dosagem de PSA sérico (câncer de próstata): o exame deve ser realizado a partir dos 50 anos de idade. Homens com histórico familiar da doença devem procurar o especialista a partir dos 40 anos de idade para orientações.
  • VDRL (sífilis): devem fazer o teste pessoas que: tenham o sintoma da doença (feridas genitais ou na garganta); estão em tratamento para outro tipo de doença sexualmente transmissível (DST); apresentem atividade sexual de risco; tenham um ou mais parceiros com diagnóstico positivo para sífilis; ou estejam infectadas pelo HIV. A periodicidade com que o exame deve ser feito dependerá da indicação médica.
  • Teste de HIV: o exame deve ser feito quando a pessoa se expõe a alguma situação de risco, como ter feito sexo de maneira desprotegida (sem uso de preservativo); compartilhado agulhas e seringas contaminadas; ou se submetido à transfusão de sangue.
  • Sorologia para hepatites B e C: a transmissão sexual é o meio mais comum de contrair as hepatites B e C. A doença pode ser transmitida também pelo compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas com o vírus; na realização de tatuagens; por perfurações de piercings ou na realização de tratamento de acupuntura compartilhando as agulhas.

Lembre-se que muitas doenças podem ser evitadas com uma alimentação saudável, a prática de exercícios físicos e visitas de rotina ao médico. Dedique um tempo de seu dia para si mesmo. Isso é importante para você e sua família.

Fonte: Dra. Danielli Haddad Syllos Dezen, cardiologista e médica responsável pelo Centro de Acompanhamento da Saúde e Check-Up do Hospital Sírio-Libanês

Homens cuidam menos da saúde

  • A frequência de adultos fumantes é maior entre os homens (12,8%) do que entre as mulheres (9%).
  • Homens (29,4%) consomem menos frutas e hortaliças do que as mulheres (42,5%).
  • Os homens (38,4%) consomem duas vezes mais carne com excesso de gordura do que as mulheres (21,7%).
  • O consumo de sal em excesso é maior entre os homens (17,4%) do que entre as mulheres (14,1%).
  • O consumo abusivo de bebidas alcoólicas é aproximadamente 2,5 vezes maior entre os homens (24,8%) do que entre as mulheres (9,4%).


Fonte: Levantamento realizado pela Vigitel

No Comments

Post A Comment